Discursos Penais de Defesa - Enrico Ferri

Disponibilidade: Imediata
/ 98
Simulador de Frete
- Calcular frete

Editora: Edijur
Autor: - Enrico Ferri
Ano: 2014
Páginas: 240
Medida: 12x18 cm - Brochura
Peso: 0.182 Kg
ISBN: 978-85-7754-115-7

 

Enrico Ferri, além de escritor, autor de renome universal, professor emérito da Universidade de Roma, também militou como brilhante advogado nos Pretórios da Itália. Foi notável orador, de fala fácil, que convencia e arrastava admiradores, colegas e alunos aos grandes debates criminais da época. Muitos dos seus discursos encontram-se nos arquivos dos principais Tribunais da Itália. 
 

A nossa série Clássicos do Direito foi reservada exclusivamente para obras de autores consagrados no direito universal, por isso não poderíamos deixar de apresentar alguns dos famosos discursos de Ferri, sem rival na eloquência judiciária, pela riqueza de imaginação, pela dialética, pelo empenho, pelos triunfos inesquecíveis, pela dedicação na defesa de seus clientes. O ilustre Professor Francisco de Mello Dornelles, notável tradutor português, selecionou alguns dos principais discursos forenses do talentoso Ferri, que inclusive já foram editados em vários países. Acreditamos firmemente na acolhida positiva destes famosos discursos, pela sua qualidade, visão jurídica e humanística. 
 

O presente documentário que ora se edita será ponto de referência para aqueles que militam nos “foros” criminais. Esperamos, portanto, que os discursos do “mestre”, ricos em exemplos consagrados pelo seu estilo brilhante, sirvam de subsídio para os estudiosos da área.

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

Características



EXPLICAÇÃO PRÉVIA

Amor e morte

Não há “direito de matar”
Amor e crime
Paixão e crime
Paixões sociais e anti-sociais
“Vênus homicida”
O amor no homem e na mulher
“Vênus Afrodite” e “Vênus Pandemia”
Amor e vontade
Fotografias obscenas
Um clarão de arrependimento
Egoísmo de amor sensual
Homicídio – Suicídio
O protagonista
O fogo do ciúme
O americano na Europa
A protagonista
Colear de serpente
Generosidades de apaixonado
A mulher é como a sombra
Aproxima-se a tempestade
Os primeiros relâmpagos
A beira do abismo
Do suicídio ao homicídio
O momento fatal
A vertigem do sangue
Criminoso passional
Premeditação
Enfermidade mental
Julgamento humano
Um caso de homicídio

O linchamento moral
A luz desinfetante do julgamento público
Augusto Murri
O sentido dos fatos humanos
Três perguntas
Quem é Tullio Murri?
A educação na casa Murri
Um pai racionalista
Religião e moralidade
Mas o homicídio deu-se!
A hereditariedade natural
Uma carta de Tullio Murri
Os imaginativos e os positivos
Os adjetivos acusadores do M.P
“A Obra” de Emílio Zola
Um documento humano
Dois tipos de homens
Os excessos sexuais
Como as testemunhas descreveram Tullio Murri
Gestos de uma alma generosa
Por uma mulher enamorada
As conclusões do perito da acusação
O “ódio subconsciente”
A instigação para a prática do crime
A obsessão
O afeto pela irmã
Cartas de Tullio para Linda
Tullio no diário Bonmartini
A “ciência invasora”
A zona intermédia
A ideia fixa
Um ensinamento japonês
A via crucis
A apreciação humana do fato
Ação paroxística
Enfermidade mental parcial
A premeditação
Intensa dor
O egoísmo não foi móbil
“A Cruz”

Calúnia e letras falsas

Uma boceta de Pandora
Riqueza e trabalho
O verbo “ter” e o verbo “ser”
Capacidade para pagar e capacidade para delinquir
Uma atmosfera de suspeitas
O segredo inquisitório
O adultério... desportivo
Um padre imoral
Ainda o falso sacerdote de Cristo
Quatro letras
Uma filigrana reveladora
A capa do diabo
Os exames caligráficos
Três indícios decisivos
Uma chuva de letras
Um brigadeiro, testemunha heróica
O exame direto das letras
A restituição da liberdade e da honra